Como lidar com a saúde das crianças no tempo seco?

sneeze

O tempo continua seco e quente em grande parte do país ainda durante esta semana. Segundo o Climatempo, nas regiões centro-oeste e interior do sudeste a umidade relativa do ar cai muito e pode ficar abaixo de 20%. Para você ter uma ideia de como o tempo está seco, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a umidade deve estar acima de 60%. Abaixo de 30%, considera-se estado de atenção e entre 19% e 12%, alerta.

A consequência desse clima pode provocar ardência e ressecamento dos olhos, boca e nariz e, principalmente, doenças respiratórias – o que se agrava ainda mais se o seu filho tiver algum tipo de alergia. Esses são alguns sinais de que o organismo está sentindo o ressecamento do ar.

Para ajudar você a amenizar o desconforto das crianças nesta época, conversamos com Cid Pinheiro, coordenador de equipe de pediatria do Hospital São Luiz (SP) e professor-assistente do departamento de pediatria da Faculdade de Medicina da Santa Casa (SP). Confira dicas:

O que pode acontecer

Tosse, coceira no nariz (em crianças menores pode até ocorrer casos de sangramento nasal), espirros, garganta seca e falta de ar são as manifestações respiratórias mais comuns. “A mucosa ocular também sofre com essa época de pouca chuva. Os olhos podem coçar e ficar vermelhos”, diz Pinheiro.

O que fazer

A hidratação, de dentro para fora, é fundamental para melhorar os desconfortos. Água, sucos e chás são boas opções. “Colocar soluções fisiológicas no nariz da criança e fazer inalações somente com soro ajudam a aliviar o desconforto respiratório”, diz o pediatra.

Se a irritação for nos olhos, vale pingar algumas gotas de soro e fazer uma limpeza para umidificar o local. Já, se a pele da criança estiver muito ressecada, consulte o pediatra sobre alguma loção para ajudar a protegê-la.

Em casa, a higiene do ambiente com pano úmido no chão e nos móveis é fundamental para eliminar o acúmulo de poeira e evitar crises de alergia. Vale, ainda, colocar balde de água (longe do alcance da criança) para melhorar a umidade do ar.

Outra dica é evitar atividades ao ar livre entre 10 e 16h, quando o tempo está mais quente e o ar, mais seco.

Quando procurar o médico

Se a tosse da criança vier acompanhada de febre e falta de ar, é preciso consultar o especialista imediatamente, porque o ressecamento das vias aéreas pode provocar crises de alergia, como asma, por exemplo.

O mesmo procedimento deve ser feito caso os olhos da criança permaneçam irritados por mais de três dias, mesmo depois da higienização com o soro.

Essa é uma matéria da Revista Crescer mais em http://revistacrescer.globo.com/

Dicas para volta ás aulas

business class for kids

Todos sabemos como é difícil voltar a rotina depois de um longo período de férias. Então confira essas dicas para deixar tudo mais fácil, e acredite se quiser, até mais divertido.

Vamos a elas:

Sem sair da linha

A adaptação gradual não deve se restringir apenas à hora do sono. Ir mudando os horários pouco a pouco é essencial para estabelecer uma rotina mais rígida, assim como colocar algumas regras. Por exemplo, definir melhor o horário das refeições e a hora do banho já vai trazendo de volta à criança a noção de obedecer uma rotina – passo importante para tornar a volta às aulas menos traumática. Entretanto, a psicóloga infantil e mãe da Maria Luiza e da Maria Eduarda, Daniella Faria, explica que o ideal é não tornar as férias um período em que “pode tudo”. “Dormir e acordar mais tarde faz parte, mas ainda assim é bom que os pais estabeleçam horários para determinadas coisas. Esse é um período que deve ser mais relaxado, mas as crianças não podem deixar de seguir regras de uma hora para outra”, afirma.

Na estica

Começar outro ano letivo significa também joelhos de calças rasgados e camisetas manchadas de tinta. Não tem jeito. Criança corre, brinca, limpa as mãos na roupa, se enche de areia no parquinho da escola… Então, essa é a hora de dar uma boa olhada nas peças de uniforme do ano passado. Se alguma ainda puder ser salva, ótimo! Se não, a única saída é comprar tudo de novo, e aí vem aquela velha dúvida: “quanto de cada coisa eu devo comprar?”.  Isso depende da idade do seu filho. Até os 5 ou 6 anos de idade, é importante que as crianças tenham sempre na mochila uma troca de roupa, afinal, acidentes acontecem. Em geral, cinco camisetas, três bermudas, três calças e dois blusões costumam ser uma quantidade suficiente. Já no ensino fundamental, cinco camisetas, duas bermudas, dois blusões e duas calças são os números indicados.

Para garantir que nada vai se perder para sempre na escola ou na casa dos amigos, é indicado colocar o nome da criança em tudo. Hoje em dia, há etiquetas de tecido que podem ser grudadas na roupa. É só colocá-las em contato com o tecido e passar o ferro sobre elas por 30 segundos. Prático e muito mais garantido.

Conhecendo os professores

Sabe aquela primeira reunião de pais e mestres que acontece antes do início das aulas? Ela é superimportante para que os pais conheçam os novos professores e entendam que tipo de linha pedagógica eles seguem. Claro que os colégios têm um sistema de ensino que deve ser seguido por todos os profissionais, mas, no fim das contas, cada professor é único e tem métodos e expectativas diferentes. Esse primeiro contato é essencial para entender isso e também para já estabelecer uma ponte de relação com alguém que terá papel importante na vida do seu filho.

Na ponta do lápis

Todo ano é a mesma coisa. Em janeiro, vemos dezenas de matérias sobre o aumento do preço dos materiais escolares e, mesmo assim, as papelarias ficam lotadas. O fato é que não precisa ser assim. Com a lista de materiais em mãos, vale dar uma boa pesquisada em diferentes lojas e até contar com  a ajuda das tecnologias. Para quem tiver disposição, juntar um grupo de mães e comprar os materiais básicos em grande quantidade pode render bons descontos. Uma dica que também pode ajudar a economizar é ir às compras sem as crianças. Até pode parecer um pouco chato, mas com certeza vai muito tempo.

A quatro mãos

Tudo comprado, chega a etapa da qual muitas crianças adoram participar, nem que seja só de brincadeira. É a hora de encapar os cadernos, etiquetar, colocar nome em tudo que possa ser perdido ou trocado por engano. E aí vale uma dica: coloque nome em tudo mesmo – desde o material de uso diário até aqueles para aulas especiais, como os pincéis para artes ou a touca de natação. Crianças ainda não são muito organizadas e é fácil perder os objetos ou guardar as coisas dos colegas sem querer.

Nesta etapa, é aconselhável que os pais chamem os filhos. “A criança precisa participar, ela tem que saber quais materiais vai usar e o que ela está levando na mochila. Isso é importante para que ela não caia na sala de aula ‘de paraquedas’ e também para começar a criar a noção de dever. Afinal, a gente só se torna responsável se aprende desde a infância”, diz Eloisa Lima, psicopedagoga e mãe do Bruno.

A caminho da escola

Resolver como as crianças vão e voltam da escola também exige planejamento, para ninguém passar aperto quando as aulas forem retomadas. Seja escolhendo o transporte escolar, uma caminhada a pé, um rodízio de caronas entre os pais ou o que for mais conveniente, o importante é ter em mente o tempo de deslocamento entre a casa e a escola e pensar em tudo com antecedência. Alguns colégios oferecem transporte escolar, enquanto outros terceirizam esse serviço. De qualquer forma, é essencial que os pais avaliem bem o serviço que vão contratar. Conversar com o motorista, observar a estrutura do veículo, ver se ele tem todos os cintos e saber se tem alguém, além do motorista, para olhar e ajudar as crianças, são os passos básicos. Buscar indicação de outros pais é outra dica.

Já para a cama

Depois de dois meses dando aquela esticadinha no videogame à noite e acordando mais tarde, é normal não conseguir acordar cedo logo no primeiro dia de aula e passar a semana toda com sono. Isso acontece porque a mudança, quando é feita de um dia para o outro, acaba sendo muito brusca, e aí o corpo leva um tempo para se adaptar. Normal.

O melhor é ir mudando o horário de dormir alguns dias antes do final das férias. Assim, quando chegar a hora, vai ficar mais fácil acordar com disposição. “O ideal é ir colocando o despertador 15 minutos mais cedo a cada dia, assim não tem briga e a adaptação vai acontecendo aos poucos”, aconselha a psicóloga infantil Daniella Faria, mãe da Maria Eduarda e da Maria Luiza.

Colégio novo

Uma mudança que pode ser um verdadeiro pesadelo a muitas famílias é a troca de escola. Muitos pais não sabem se devem fazer a escolha de um novo colégio sozinhos ou se é melhor levar os filhos e ouvir a opinião deles. É verdade que cada família tem uma dinâmica diferente e sabe o que é melhor para si, mas a psicopedagoga Eloisa Lima aconselha deixar essa decisão apenas entre os adultos. “Quem tem que escolher a escola são os pais. Levar as crianças só cria expectativas e gera uma ansiedade desnecessária. O que eu vejo é toda uma situação de stress causada pela antecipação do desconhecido”, afirma.

O dia anterior

E, então, chega a última e esperada etapa. É a hora de separar os cadernos, colocar todos os lápis novinhos dentro do estojo, ver os últimos detalhes e arrumar a mochila. Pode até parecer algo corriqueiro, mas essa é uma oportunidade e tanto para você aproveitar e ter aquela conversa com seu filho sobre o novo ano letivo que se inicia, dizendo, por exemplo, que você espera que ele se esforce para tirar boas notas, melhore na matemática e capriche na lição de casa. Claro, tudo sem cobranças e com muito amor e carinho.

Espero que tenha ajudado. Essa é uma matéria da Pais e Filhos mais em http://www.paisefilhos.com.br/

7 desenhos que fazem sucesso entre adultos e crianças

Tenho certeza que a maioria das pessoas que estão lendo ainda gostam de algum desenho de sua infância, não é verdade? Quem não se lembra de acordar em um sábado de manhã e ficar assistindo desenhos até escurecer?

Ver desenho faz parte da vida das crianças desde que a primeira animação começou a passar na televisão, em 1930. Os pais de hoje também adoravam desenhos animados quando eram crianças e nada mais justo do que querer compartilhar com os filhos tudo o que assistiam quando eram crianças. Essa conexão que acontece entre nós e nossos filhos por meio dos desenhos favoritos da nossa infância é muito especial.

Uma pesquisa realizada pela Netflix aponta que 85% dos pais de diferentes países querem apresentar ou já apresentaram para os filhos os desenhos que costumavam ver durante a infância. 75% das pessoas que participaram da pesquisa disseram que se sentem crianças de novo e que os filhos aprendem importantes lições de vida com as referências culturais dos pais. Muitas famílias estão usando serviços online, como a assinatura da própria Netflix, para viver essa tradição.

“Os desenhos de sábado de manhã que eram tradição na nossa infância estão hoje disponíveis na Netflix, mas agora podemos decidir quando queremos fazer essa sessão nostalgia em família”, conta Erik Barmack, vice-presidente global de conteúdo independente. Os participantes da pesquisa são famílias do Brasil, Canadá, México, Reino Unido, Alemanha, França e Estados Unidos que assistem online a desenhos e filmes com seus filhos.

Veja a lista dos desenhos mais queridos em cada país:

1) Os norte-americanos são fãs do Inspetor Bugiganga

inspector-gadget

2) Tom e Jerry é o desenho favorito dos pais brasileiros
hqdefault

3) Os britânicos adoram Danger Mouse

DangerMouse-2014-series

4) Os canadenses são fãs dos Smurfs

smurfs

5) Asterix tem preferência esmagadora dentre os franceses

Uderzo_DW-5

6)  Na Alemanha, Píppi Meialonga faz o maior sucesso

ab955d122b56f3678914bbe98a33a9e9

7) Os pais mexicanos são fãs de A Pantera Cor-de-Rosa

pink2

E você está esperando o que para apresentar o seu desenho favorito para seu filho.

Essa é uma matéria da Pais e Filhos mais em http://www.paisefilhos.com.br/

6 atividades para as férias dos pequeninos

community_bike_ride_jy_002_t725x500

Chegaram as férias, é hora de curtir com seu filho. As férias é uma ótima época para você se aproximar mais do seu filho, brincar, fazer atividades juntos. E pensando nisso a Pais e Filhos listou 6 atividades interessantes para fazer com o seu filho, e passar mais tempo com ele. Confira:

1) Filminho no cinema ou em casa mesmo

Que tal levar as crianças ao cinema? Nas férias, as produtoras disponibilizam uma grade enorme de filmes infantis que mexem com a imaginação e a criatividade de todos. Se a telona não é tão perto da sua casa ou de difícil acesso, alugar um filminho em casa mesmo também vale. Prepare a pipoca, alguns cobertores quentinhos e escolha o filme preferido da família. O importante é o tempo que vocês vão ter juntos.

2) Festa do pijama

Uma ideia que faz sucesso é chamar primos e amigos dos seus filhos e fazer uma reunião temática. A festa é tão simples que a única obrigação é todo mundo estar de pijama. Para a organização, chame seu filho para colocar um cobertor ou um tapete gostoso na sala, faça um brigadeiro de colher e avise a turma. Pronto! Agora é só brincar e, depois, ir direto pra cama.

3) Piquenique

Sabemos que o friozinho desanima alguns programas ao ar livre, mas não deixe que o tempo impeça vocês de terem momentos inesquecíveis juntos. O piquenique é ao mesmo tempo saudável e fácil. Seus filhos vão adorar encher a cesta com comidinhas naturais e ajudar a estender a toalha na grama. Dá para chamar alguns amigos também.

4) Andar de bicicleta no parque

Quantas vezes por semana ou por mês você anda de bicicleta com o seu filho? Na correria do dia a dia a gente sabe que fica mais complicado, então é hora de aproveitar os parques e praças da sua cidade e incentivar as crianças a fazer exercícios se divertindo. Patins também se encaixam nesta categoria. A garotada vai adorar!

5) Cursos

Para os pais que moram na capital paulista, vivem na correria da maior cidade do país e já estão desesperados com a chegada das férias, calma! Existem muitos lugares para deixar os filhos que oferecem cursos e uma equipe bem preparada para lidar com crianças.

Um deles é o MAM, o Museu de Arte Moderna de São Paulo, que lançou dois cursos exclusivos para as crianças se divertirem no recesso escolar. Um é o Ateliê de experimentação, que vai oferecer atividades lúdicas e criativas e o outro é chamado de Mini Documentaristas, que vai usar processos de elaboração de um documentário para sensibilizar as crianças em um mundo cada vez mais midiático.

Outra opção é o Espaço Passatempo, um lugar alegre e bem decorado para crianças de 15 meses até 14 anos. Lá, além de lanches e refeições saudáveis, tem um monte de atividades que os seus filhos vão adorar. Atrações como música e folclore, culinária, pintura, brincadeiras e outras formas de arte. Você pode reservar só as atividades preferidas das crianças ou contratar um banco de horas para ser utilizado pela família como preferir.

6) Viagens

A Pais&Filhos também pensou nos pais que entram em férias junto com os filhos e com a ajuda da PLOT, uma consultoria on-line de viagens, separou quatro destinos para a família toda aproveitar.

De acordo com uma das donas da empresa, Manoela Andrade, “viagens como essas unem as famílias e oferecem às crianças e adultos uma oportunidade de contato com o off-line muitas vezes difícil de realizar ao longo do ano”.

Bonito, no Mato Grosso do Sul, e Maragogi, em Alagoas, são os lugares sugeridos para as crianças que gostam da natureza e de aventuras, com vários passeios radicais.

Para quem gosta do frio e da neve, o Ushuaia, na Argentina, foi o lugar escolhido. Lá tem uma das temporadas de esqui mais longas da região.

E também fora do país, para as crianças mais nerds, que gostam de história, tem o Machu Picchu, no Peru. Em meio às construções e ruínas da cidade perdida, a viagem vai ser uma aula prática sobre civilizações e povos antigos, como os incas.

Essa é uma matéria da Pais e Filhos, mais em http://goo.gl/82XSRc

5 maneiras de evitar o sedentarismo nas crianças

115610-113568

Cansada de ver seu filho dentro de casa brincando só com computadores e video-games? A tecnologia vem crescendo muito rápido e cada vez mais vemos crianças dentro de casa na frente de uma tela, não é verdade? Mas nem tudo está perdido pois crianças não gostam de ficar paradas, pensando nisso a Revista Crescer listou 5 dicas para fazer a criançada sair de casa e se exercitar brincando.

Vamos à elas:

1 – Crianças são naturalmente ativas. Gostam de correr, pular, brincar. Tire proveito de disso e dê preferência para brinquedos que promovam o gasto de energia, como bolas, cordas, bicicleta. Já que é impossível fugir dos videogames, convide seus filhos para testar as versões com sensores de movimento, como Wii e Kinect;

2 – Se não há espaço suficiente em casa para atividades físicas, ocupe outras áreas livres como playgrounds e praças. Ciclovias em grandes avenidas, que têm pistas fechadas nos fins de semana, estão na moda nos grandes centros. A prática também favorece a interação com outras crianças, um dos fatores que vai engajá-la na atividade física;

3 – Cursos extracurriculares (danças, lutas e outros esportes) são uma boa opção para manter os pequenos sempre em movimento. Para cultivar o interesse da criança, deixe que ela escolha o que mais lhe atrai: não é por que você quis ser bailarina que a sua filha vai querer também, certo?;

The-Benefits-Of-Playing-Outside-For-Children

4 – Dê o exemplo. Que tal acompanhar seu filho no clube ou academia e aproveitar para fazer exercício no mesmo horário que ele? O passeio é importante não apenas pela atividade física em si, mas também para a criança associar a prática a um programa de família;

5 – Em vez de passar a tarde de sábado no shopping, leve-o para andar de bicicleta no parque. Além de se divertir, vocês vão gastar calorias e criar um hábito saudável que há grandes chances de ser preservado pela criança no futuro.

Espero que tenham gostado, essa é uma matéria da Revista Crescer mais em http://revistacrescer.globo.com/

Até a próxima.

Dicas para orientar as crianças a usarem aparelhos eletrônicos

De um tempo para cá a tecnologia cresceu muito e rápido, hoje em dia todos estamos conectados, todos em seus celulares ou computadores. E com as crianças acontece a mesma coisa, quantas vezes você já viu alguma criança com seu Smartphone? Muitas, não é verdade?

childrens-use-of-technology

Não que isso seja ruim porque aparelhos eletrônicos ajudam muito no entretenimento e aprendizado, mas não podemos deixar que isso tome conta o tempo inteiro das crianças “Crianças precisam brincar, correr, passear, estudar e receber diferentes estímulos físicos e cognitivos para terem um desenvolvimento pleno. Se o tempo do uso das tecnologias digitais impede que a criança faça qualquer uma dessas atividades, algo está errado”, diz Cátia Rodrigues, psicóloga e pesquisadora.

Pensando nisso a Pais e Filhos listou 6 dicas para ajudar os pais a orientarem os filhos na hora da utilização de aparelhos eletrônicos. Vamos à elas:

1. Não tenha medo de orientar

Parece que eles já nascem sabendo como usar um smartphone e outros dispositivos tecnológicos, mas não é bem assim. As crianças descobrem muitas coisas sozinhas, mas nós temos experiências de vida e maturidade, e isso ainda não dá para adquirir na internet ou fazer um download. Nossos filhos podem até saber mexer nesses gadgets, mas somos nós os responsáveis pela educação, segurança e orientação que eles precisam

2. O aprendizado também é seu

A melhor forma de orientá-los é também entender do que eles estão falando. Se você ainda não aprendeu como usar tablets e smartphones, será mais difícil ajudar o seu filho a fazer uso correto destas ferramentas. Se você quer auxiliar em pesquisas escolares, é necessário que saiba fazer buscas na internet, por exemplo. Aqui, a principal dica é estar disposto a aprender sempre e se manter ligado às novidades.

3. Mergulhe nos interesses do seu filho

Não basta orientar, é preciso participar! Mais do que utilizar os dispositivos apenas como entretenimento ou forma de acalmar a agitação, selecione atividades do interesse dele para vocês fazerem juntos. Além de ser uma maneira de acompanhar o que os filhos estão fazendo, pode ser uma forma de estar mais próximo do universo deles. Jogos e aplicativos educativos são boas opções.

Kids-playing-on-digital-tablet-device

4. Saiba que o ambiente virtual é tão real quanto o presencial

Nos dias de hoje, ambos são igualmente reais. “Quando os pais ensinam os filhos a atravessar a rua ou que não se deve falar com estranhos, querem protegê-lo e prepara-lo para a vida no mundo real. O mesmo deve ocorrer no virtual, onde é muito mais fácil ter contato com estranhos e conteúdos inapropriados”, explica a psicóloga. É preciso lembrar que o amigo virtual existe de verdade. Confira se seu filho está falando com outras crianças ou com adultos e qual o tipo de conteúdo que estão compartilhando.

5. Permitir o acesso é diferente de dar autonomia

A autonomia que a criança recebe não tem só a ver com a idade. Portanto, é você quem decide se seu filho está preparado para o universo virtual e avalia os riscos que o ambiente virtual oferece. “Você deixaria seu filho ir viajar sozinho, sem a supervisão de um adulto de confiança? Na internet, ele faz isso sentado no sofá de casa”, afirma Cátia. “É preciso que os pais avaliem o que sinaliza perigo e o que é seguro, de acordo com a maturidade e o senso de realidade do filho”.

6. Esteja atento à finalidade no uso da internet

Quando seu filho estiver conectado, preste atenção nos sites que ele acessa, qual é o objetivo do acesso e quanto tempo ele passa conectado. Essas ferramentas podem ser ótimas para estudos, pesquisas e interação, mas é necessário ensinar a criança a usá-la de maneira que não atrapalhe outras áreas da vida.

Consultoria: Cátia Rodrigues, PhD, Psicóloga Clínica, Pesquisadora Acadêmica na PUC/SP e mãe de Isabela.

Essa é uma matéria da Pais e Filhos.

Mais em: http://www.paisefilhos.com.br/crianca/6-dicas-para-orientar-seus-filhos-no-uso-das-tecnologias

5 dicas para fazer as crianças gostarem de inglês

Todos já sabemos que o inglês virou uma língua universal, por isso aprendemos ela na escola. Em um futuro próximo todas as vagas de empregos vão exigir a língua inglesa, e nós já sabemos também que a melhor época para se aprender algo novo é na infância.

child-teaching-stuffed-animals

Pensando nisso que a revista Pais e Filhos listou 5 dicas para a criançada querer aprender o inglês desde cedo, em outras palavras aprender brincando. Então vamos a elas:

1. Expor a criança em contato com um idioma estrangeiro através de filme , músicas , livros de contos/histórias , jogos eletrônicos é uma forma lúdica e divertida para envolver e motivar a criança a aprender , despertando o interesse dela.

2. Associar atividades e momentos conjuntos como assistir um filme ou desenho divertido em outro idioma com seu filho, sem dúvida é um grande estímulo para ele desejar aprender um novo idioma.

Consultoria: Rosemary Paulon, diretora do Berlitz de Moema;

3. Tornar os momentos de estímulo e algo prazeroso – estimula o aprendizado, melhor a motivação e ajuda a criança a romper barreiras .

4. Lembrando que todas as respostas positivas ao estímulo devem vir com palavras de apoio e encorajamento por parte dos pais, como reconhecimento de seu interesse e resposta positiva ao estimulo.

5. Aproveitar as festas comemorativas, como feriados de países diferentes que incentivam, desafiam e engajam os alunos a aprenderem mais sobre o idioma;

Consultoria:  Eloísa Lima, mestre em neurolinguística da Universidade Federal do Rio de Janeiro;  Rosemary Paulon, diretora do Berlitz de Moema e Berlitz Educação Global

Referência: http://www.paisefilhos.com.br/crianca/5-formas-de-motivar-as-criancas-a-aprender-ingles

8 sinais que mostram que seu bebê é saudável

Olá pessoal, tudo bem?

Hoje falaremos de assunto bem interessante. Muitas vezes mamães não sabem se seu bebê está saudável,  e ficam preocupadas. Mas fique atentas à esses sinais que mostram que o seu bebê está bem saudável. Mas lembre-se sempre que ficar em dúvida não deixe de procurar um pediatra.

Vamos a eles:

baby-surprise

1. Seu filho frequentemente se acalma com seu toque e o som da sua voz

Isso prova que: ele está se desenvolvendo emocionalmente.

Recém-nascidos choram. Muito. Infelizmente, apenas conversar não vai fazer com que ele pare de chorar. Entretanto, sua voz era a trilha sonora dele enquanto ele estava na sua barriga, então é algo que realmente chamará a atenção dele. Quando o bebê se acalma na sua presença, é o primeiro passo para estabelecer um bom relacionamento com você e um sinal claro de que ele é está desenvolvendo seu emocional.

2. Você troca as fraldas de 8 a 10 vezes por dia e seu filho continua ganhando peso.

Isso prova que: ele está tomando a quantidade suficiente de leite e crescendo em uma proporção saudável, ainda que a quantidade de leite que ele tome seja variada.

É importante comparecer a todas as consultas pediátricas após o nascimento do seu filho, para que o pediatra possa avaliar o quanto seu filho está crescendo. Um sinal de que está tudo bem são as fraldas molhadas. Acredite nesses indicadores ao invés de ficar preocupada com a quantidade do que ele ingere. Bebês não costumam comer a mesma quantidade todos os dias, o importante é ficar de olho no ganho de peso.

3. Por pelo menos alguns breves momentos do dia, seu filho fica quieto e atento

Isso prova que: ele está observando o mundo e começando a aprender.

As primeiras semanas serão marcadas por mamadas (mais ou menos a cada 2 horas), dormidas (aproximadamente 16 horas ao dia, mas não seguidas) e no meio de tudo isso tem muito choro. O seu filho vai começar a passar mais tempo acordado quando estiver com mais ou menos 1 mês de vida, período em que ele ganhará mais controle dos músculos oculares e conseguirá se concentrar em algo (você, principalmente). Nesse momento você terá a noção de que tem uma esponjinha nas suas mãos. Quando ele estiver quieto e alerta, estará observando e absorvendo tudo a sua volta, processando todas essas informações novas.

4. Seu filho presta atenção em novos sons e se acalma quando ouve música

Isso prova que: a audição dele continua se desenvolvendo e ele está usando o cérebro para discernir sons.

Bebês são capazes de ouvir desde o nascimento, mas leva algumas semanas para que eles consigam filtrar os sons. Com o tempo, alguns sons se tornam mais interessantes do que outros. A música, por exemplo, vai chamar a atenção do seu filho, seja de um brinquedo ou do rádio. Uma vez que você o ver reagindo à música procurando de onde ela vem, você saberá que seus ouvidos estão saudáveis e ele está curioso a respeito do que está ouvindo.

5. Você o pega observando padrões, cores e movimento

Isso prova que: a visão do seu filho está ficando aprimorada.

Você pode até não imaginar, mas quando seu filho está encarando o ventilador em movimento, isso é um sinal de progresso. Bebês nascem com uma capacidade de enxergar apenas 20% da capacidade total e eles só conseguem visualizar apenas entre 8 a 12 polegadas de distância. Próximo aos 2 meses de idade, seu filho começa a enxergar padrões, cores brilhantes e objetos que rodam, como ventiladores e móbiles.

healthy-baby

6. Seu filho faz contato visual, sorri para ter atenção e dá risadinhas para as pessoas

Isso prova que: ele está se tornando uma pessoa sociável e feliz.

Entre 2 e 4 meses de idade, seu filho está aprendendo a se conectar com você e está adquirindo mais consciência do ambiente ao seu redor. Em certo nível, ele entende que pessoas interagem mais com ele quando se esforça. Quando ele está com 5 meses, sorrir quando alguém sorri para ele torna-se praticamente um reflexo. Esses comportamentos sociais são importantes indicadores de desenvolvimento da linguagem. Quando o seu filho faz sons com a boca, está testando as cordas vocais e logo deverá começar a falar.

7. Seu filho começa a suportar o próprio peso corporal

Isso prova que: os pequenos músculos dele estão ficando cada dia mais fortes.

Muitos bebês conseguem sustentar a cabeça com 1 mês de idade. Já com 3 meses, eles normalmente o fazem com grande habilidade. Se o seu filho consegue sustentar a cabeça ou mudar de posição no seu colo, ele está flexionando seus músculos. Pequenos exercícios diários, como flexionar os pés até a barriga, ajudam o seu filho a se desenvolver mais rápido, o que facilitará na hora de começar a engatinhar.

8. Seu filho começa a chorar menos e dormir mais

Isso prova que: o sistema nervoso dele está amadurecendo.

Alguns bebês chegam nesse estágio rapidamente e as mães podem dormir mais à noite, outros só alcançam esse estágio depois dos 4 meses de vida. Se o seu filho já passou dessa idade, tente fazer com que a rotina dele seja mais apertada. Então será a sua vez de dizer para si mesma: “meu bebê está ótimo”.

Espero que tenham gostado. Até a próxima pessoal.

Essa é uma matéria da Parents traduzida pela Pais e Filhos. 

Lição de vida

10012564_754195367969727_6096003179852341382_n

Um jovem foi se candidatar a um alto cargo em uma grande empresa . Passou na entrevista inicial e estava indo ao encontro do diretor para a entrevista final. O diretor viu seu CV, era excelente. E perguntou-lhe: 

– Você recebeu alguma bolsa na escola? – o jovem respondeu – Não.
– Foi o seu pai que pagou pela sua educação?
– Sim – respondeu ele.
– Onde é que seu pai trabalha?
– Meu pai faz trabalhos de serralheria.

O diretor pediu ao jovem para mostrar suas mãos.
O jovem mostrou um par de mãos suaves e perfeitas.

– Você já ajudou seu pai no seu trabalho?
– Nunca, meus pais sempre quiseram que eu estudasse e lesse mais livros. Além disso, ele pode fazer essas tarefas melhor do que eu.

O Diretor lhe disse:
– Eu tenho um pedido: quando você for para casa hoje, vá e lave as mãos de seu pai. E venha me ver amanhã de manhã.

O jovem sentiu que a sua chance de conseguir o trabalho era alta!

Quando voltou para casa, ele pediu a seu pai para deixá-lo lavar suas mãos.
Seu pai se sentiu estranho, feliz, mas com uma mistura de sentimentos e mostrou as mãos para o filho. O rapaz lavou as mãos de seu pai lentamente. Foi a primeira vez que ele percebeu que as mãos de seu pai estavam enrugadas e tinham muitas cicatrizes. Algumas contusões eram tão dolorosas que sua pele se arrepiou quando ele a tocou.
Esta foi a primeira vez que o rapaz se deu conta do significado deste par de mãos trabalhando todos os dias para pagar seus estudos. As contusões nas mãos eram o preço que seu pai teve que pagar por sua educação, suas atividades escolares e seu futuro.
Depois de limpar as mãos de seu pai, o jovem ficou em silêncio organizando e limpando a oficina do pai. Naquela noite, pai e filho conversaram por um longo tempo.

Na manhã seguinte, o jovem foi encontra-se com o Diretor.
O diretor percebeu as lágrimas nos olhos do moço quando ele perguntou:
– Você pode me dizer o que você fez e aprendeu ontem em sua casa?
O rapaz respondeu: 
– Lavei as mãos de meu pai e também terminei de limpar e organizar sua oficina. Agora eu sei o que é valorizar, reconhecer. Sem meus pais, eu não seria quem eu sou hoje… Por ajudar o meu pai agora eu percebo o quão difícil e duro é para conseguir fazer algo sozinho. Aprendi a apreciar a importância e o valor de ajudar a família.

O diretor disse: 
– Isso é o que eu procuro no meu pessoal. Quero contratar uma pessoa que possa apreciar a ajuda dos outros, uma pessoa que conhece os sofrimentos dos outros para fazer as coisas, e que não coloca o dinheiro como seu único objetivo na vida. Você está contratado.

Uma criança que tenha sido protegida e habitualmente dado a ela o que quer, desenvolve uma mentalidade de “Tenho direito” e sempre se coloca em primeiro lugar. Ignora os esforços de seus pais.
Se somos esse tipo de pais protetores, estamos realmente demonstrando amor ou estamos destruindo nossos filhos?
Você pode dar ao seu filho uma casa grande, boa comida, educação de ponta, uma televisão de tela grande… Mas quando você está lavando o chão ou pintando uma parede, por favor, o faça experimentar isso também . Depois de comer, que lave os pratos com seus irmãos e irmãs. Não é porque você não tem dinheiro para contratar alguém que faça isso; é porque você quer amar do jeito certo. Não importa o quão rico você é, você quer entender. Um dia, você vai ter cabelos brancos como a mãe ou o pai deste jovem.

O mais importante é que a criança aprenda a apreciar o esforço e ter a experiência da dificuldade, aprendendo a capacidade de trabalhar com os outros para fazer as coisas.

(Tradução da postagem de Adri Gehlen Korb)

9 Fotos engraçadas de crianças

Olá pessoal, tudo bem?

Hoje vamos descontrair um pouco porque sorrir não faz mal a ninguém, não é? Então confira essas fotos super divertidas.

Divirta-se:

De boas com a minha chupeta huahuahuahuahuauauha

roupas-de-bebe-divertidas-18

Aquela criança que quer ser comediante quando crescer

crianças-travessuras-9

oooooooooooooooppps

parents_07

Ai mamãe que susto

crianc3a7as-engrac3a7adas01

Vou eletrocutar você também

garoto-eletrico

Duvido você encarar esse bebê por 20 segundos sem rir

crianc3a7a-sorrindo

Socorro mamãe fiquei presa

criancas_engracadas_03

Opa me ajuda a levantar aqui

1336312400997

Oooooooooooooops 2

1145819704_f

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Espero que tenham gostado.  Até a próxima pessoal, não esqueçam de compartilhar com seus amigos.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.